A Deusa Hera, rainha de si.

Confesso que falar sobre essa deusa sempre é um desafio, por 2 motivos:

O primeiro é que essa deusa esteve por muito tempo no meu inconsciente, e, por causa disso, tinha dificuldades de enxergar o seu grandioso poder e deixava a minha mente navegar pelo óbvio.

O segundo motivo que é a distorção dessa Deusa e de sua funcionalidade pela sociedade patriarcal; muitas vezes quando essa deusa é citada em filmes, livros, revistas, ela é retratada como uma figura vingativa, encrenqueira, possessiva, melhor dizendo, ela tem a fama de ser a causadora de tretas do Olimpo. Fico me questionando porque as duas rainhas que constam no panteão olimpiano são carregadas de conotação negativa. Uma delas é Perséfone, a Deusa do meu último texto (se você ainda não leu, ele está disponível neste site) e a Deusa do texto de hoje nada mais é do que a soberana rainha do Olimpo, a Deusa Hera. Prestem suas reverências a Hera e venham conhecer os segredos dessa, que é rainha de si.

Hera é a esposa de Zeus, é a Deusa do matrimônio, das tradições, da moral, dos valores e, na mulher, Hera é a responsável por dois aspectos: o casamento e o comprometimento da mulher, com os outros e consigo mesma.

A mulher cuja Hera é muito presente em sua personalidade tende a ser uma mulher clássica, altiva, extrovertida, assertiva, confiante, elegante e com uma excelente capacidade de argumentação; a mulher Hera é uma líder nata, extremamente poderosa, dedicada aos seus valores e comprometida com os seus objetivos; ela é uma mulher de classe, tende a se interessar por festas beneficentes, reuniões sociais e adora o poder; não que isso seja um traço negativo, depende de como é desenvolvido, mas a mulher Hera foi feita para o poder, seja para assumir posições de poder ou para assessorar pessoas que ocupam posições de poder, principalmente se essas pessoas são os seus maridos.

As mulheres que tem uma Ártemis, Atená ou até mesmo uma Afrodite regente, tem certa dificuldade de compreenderem Hera, pois são Deusas mais independentes que não tem como objetivo maior o casamento; já o sonho da vida da mulher Hera é se casar: sabe aquelas mulheres que, desde pequenas ficam imaginando como será o casamento e sonham com o dia em que entrarão na igreja ao som da marcha nupcial, e se unirá definitivamente com o amor da sua vida, a sua metade, e desse dia em diante serão felizes para sempre? O casamento é o seu desejo maior e também o seu calcanhar de Aquiles, porque muitas mulheres com uma Hera excessivamente desenvolvida abrem mão de sua vida, trabalho, individualidade para se tornarem o braço direito do marido.

Sabe a expressão: por trás de um grande homem, existe uma grande mulher? Esse ditado é certíssimo e posso te garantir que essas mulheres, em sua maioria, são mulheres com Heras fortíssimas.

E o que aprendi com Hera? Por ter objetivos diferentes dessa Deusa, sempre a deixei de lado, mas percebi com o tempo que, muitas vezes, o que é totalmente diferente da gente pode nos ensinar lições valiosíssimas. Tive meu contato maior com Hera quando estava em um relacionamento de 2 anos e fui pedida em casamento; nesse momento Hera acordou de um sono profundo no meu inconsciente e despertou em mim a vontade de me casar e ter uma família, o que até então era novidade para mim; como na época eu tinha uma Atená e Afrodite bem desenvolvidas, Hera surgiu para me mostrar as vantagens de ter um casamento,uma relação madura e o mais interessante, ela me mostrou que, antes de me entregar a uma união com um homem, necessito ser inteira, ser rainha de mim mesma. Ninguém precisa de uma metade para ser preenchida e se tornar um ser humano inteiro; somos criadas com esse conceito romântico e crescemos achando que precisamos de alguém pra suprir esse vazio e sermos felizes e plenas; você já tem essa inteireza, é só você se relembrar e assumir isso.

Uma Hera bem desenvolvida, quando se casa preza os seus valores, a sua individualidade e consegue ter um relacionamento sadio. 

Venha despertar sua Hera e se conectar com seu Poder pessoal.

Assista nosso encontro ao vivo.

Nessa quarta-feira, 17 de maios as 20:30.

Para participar clique aqui e inscreva-se:

 http://bit.ly/2mw3vT2

  • Viviani Burke é autora deste texto sobre os arquétipos Femininos  e minha convidada para falar sobre as Deusas Gregas nesta Roda das Deusas.

Espero que este conteúdo possa ser um  caminho para o seu  autoconhecimento, despertar feminino e relacionamento de amor e confiança em si mesma.

Os caminhos são muitos. Siga seu coração. Ele sempre sabe onde você precisa chegar!

Com amor,

Juliana Carneiro.

*Juliana Carneiro é jornalista e coach em Psicologia Positiva. Autora do blog Caminhos Femininos e da pagina no Face Mulheres que Correm com Lobos.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *